PROJETO: Apartamento Pascoal de Melo

LOCALIZAÇÃO: Rua Pascoal de Melo – Lisboa

ANO: 2015

ÁREA: 100 m2

PROGRAMA: Reabilitação Apartamento

ESTADO: Construído

CLIENTE: Privado

EQUIPA: Jorge Castelão, Filipa Castelão e Catarina Crespo

ESSENCIAL: Reabilitação de um apartamento lisboeta de meados do século XX

 

O Projeto de Reabilitação do apartamento sito na rua Pascoal de Melo, em Lisboa, insere-se num edifício de construção de meados do século XX e encontrava-se em razoável estado de conservação.

Inicialmente contemplava três quartos, uma cozinha com um grande problema de iluminação e cercada de ângulos, uma sala que se assemelhava a um quarto a nível de áreas/arquitetura e duas entradas que demarcam a história do apartamento.

A intervenção teve como objetivo dar resposta aos requisitos programáticos solicitados pelo cliente e criar a sensação de maior amplitude espacial nos espaços da habitação.

O nosso objetivo era poder sentir os espaços sempre de forma diferente, na forma de uso (cozinhar, dormir, relaxar) e na sua interação. Todo o apartamento foi desenhado tendo em consideração a apreciação sensorial variada, num jogo de volumes e pontos vista do mesmo espaço, reforçado pelos materiais escolhidos, sendo o pavimento integralmente substituído, bem como os vãos.

Definiu-se uma entrada principal que se abre para o espaço mais público da habitação, a sala. Marcada com vigotas iluminadas em Led somos guiados da entrada à zona mais privada do apartamento.

Para a sala foram unidos dois quartos e estabelecidos dois pés-direitos diferenciados que definem a sala de refeições e sala de estar unidas por umas escadas que diferenciam os espaços, aplicando o jogo referido anteriormente de pontos de vista e vivências.

Na cozinha, o projeto procura tirar o máximo partido da iluminação natural, através da substituição do mobiliário, dos vãos altos sem bandeiras e dos revestimentos existentes por materiais de cor clara que refletem a luz. Em complemento, a organização funcional da cozinha foi repensada, de forma a concentrar na entrada os móveis altos, libertando a área junto à janela para permitir maior entrada de luz. Foram definidas 3 áreas distintas, a de cozinhar com 2 bancadas definidas que se desenham da parede ao pavimento, a lavandaria encerrada assemelhando-se aos móveis altos da cozinha e a zona de refeições junto da janela, mais abrigado.

A suíte principal é desenhada em três espaços, o de acesso define uma área de vestir ampla, com roupeiros altos e esguios, seguindo-se a área de instalação sanitária em vidro, onde um lavatório em coluna se ergue vislumbrando todo o quarto e a área de dormir, havendo um conceito de voyeur implícito em todo o espaço.